Eu sou Carol, muito prazer!

Sou capricorniana com ascendente em Virgem e lua em Peixes. Muito pé no chão, mas com a cabeça nas nuvens! 🙂

Me formei Psicóloga em 2006 na Universidade Mackenzie, em São Paulo. Estava um pouco indecisa sobre qual curso prestar, mas quando conheci a Psicologia me apaixonei!

A faculdade mudou completamente minha forma de ver o mundo, me trouxe mais profundidade e amorosidade no olhar. Entender que nossas reações muitas vezes têm raízes profundas numa infância distante, nas feridas não cicatrizadas que muitas vezes nem sabemos que existem, me trouxe uma profunda empatia e compaixão pelo ser humano.

Como diz a música, cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é.

Comecei minha atuação na clínica, atendendo crianças e adultos. Passei a atuar na Saúde Pública, compondo uma equipe multidisciplinar maravilhosa em Guarulhos, enquanto terminava o Mestrado na PUC-SP.

Essa experiência na Saúde foi uma segunda faculdade, pois me possibilitou entrar em contato com pessoas e questões  que eu não conheceria de outra forma. Atendi pessoas em sofrimento profundo, lutando com feridas emocionais devastadoras, as quais muitas vezes eram causadas ou agravadas pela injustiça social e desigualdade que impera em nosso país.

Foi como servidora pública que eu conheci o Brasil real. Isso me sensibilizou e fortaleceu, na medida em que passei a me entender como uma lutadora por mudanças nesse país tão desigual.

Me tornei articuladora de saúde mental no Município e trabalhei na gestão de saúde, organizando a saúde mental e apoiando as equipes que estavam na linha de frente.

Após cinco anos de intenso trabalho em Guarulhos, continuei meu percurso profissional no Hospital do Campo Limpo, em São Paulo. Lá, era a psicóloga responsável da clínica, UTI e emergência pediátricas. Foi outro aprendizado ímpar, apoiando e acolhendo mães e crianças em um dos momentos de mais fragilidade da vida, a doença. Lá, aprendi a valorizar ainda mais a vida e também a lidar com a morte.

Uma nova oportunidade me trouxe de São Paulo para Campinas, para trabalhar na Assistência Social. Aqui conheci uma realidade ainda mais dura, trabalhando diretamente com as pessoas que se encontram em maior vulnerabilidade, os invisíveis da sociedade. Em Campinas, cidade que escolhi como morada, tive certeza da minha missão de ajudar a transformar o mundo.

Como psicóloga, sei que sou apenas uma minúscula gota d’água em um enorme oceano. Mas minha parte nessa roda da vida é acolher as feridas que ninguém quer enxergar e ajudar a brilhar mais forte a luz da consciência. Acredito com todo o meu coração que mudamos o mundo a medida que ficamos mais consciente das nossas sombras. E meu trabalho pessoal e de vida é ajudar a iluminar as sombras.

Desde o princípio de minha trajetória, interessei-me pelas questões que envolviam de forma diferente homens e mulheres. Elas sempre foram maioria nos atendimentos, tanto no consultório quanto nas políticas públicas. Além disso, desde o trabalho em Guarulhos, comecei a me envolver com o atendimento a gestantes, em grupo e também de forma individual. No Hospital em que trabalhei, tive a oportunidade de acompanhar várias mulheres que tiveram ali seus filhos e a devastação que um parto com violência podia provocar no emocional dessas mães.

Essas experiências foram o embrião do projeto ao qual me dedico hoje, a Lumiar Psicologia. É um projeto focado no desenvolvimento feminino, que alia todas as minhas experiências para oferecer uma oportunidade de mais mulheres reconhecerem e fazerem brilhar sua luz no mundo. Nos atendimentos individuais e nos grupos, utilizo mitos, interpretação de sonhos, técnicas corporais e artísticas para ajudar mulheres a viverem de forma mais autêntica e alinhada com sua essência.

Outro braço da Lumiar é o acompanhamento de gestantes e puérperas durante todo o processo de gestação, parto e pós-parto, oferecendo apoio emocional durante as mudanças que com certeza virão e também conteúdos de psicoeducação sobre como montar uma rede de apoio, parto humanizado e seguro, evidências científicas, vínculo mãe-bebê, relação do casal entre outros.

Ao cuidar das mamães, sei que também estou contribuindo para que as futuras crianças sejam mais felizes e saudáveis.

E assim, pretendo mudar o mundo, um pedacinho por vez!